Estado publicará hoje decreto da reorganização

Via Diário do Grande ABC | www.dgabc.com.br

570553-970x600-1

A Secretaria Estadual da Educação publicará hoje decreto sobre a reorganização escolar. Com a medida, os servidores que estão no quadro de pessoal das instituições que passarão pela reorganização poderão escolher onde darão aula no próximo ano.

A Pasta se comprometeu a manter os benefícios dos profissionais e o diálogo com os estudantes sobre o processo que criará escolas segmentadas por ciclo de ensino. Em protesto contra a medida, há 190 unidades ocupadas por estudantes em todo o Estado, sendo 23 no Grande ABC.

Em Santo André, as escolas ocupadas continuaram sem aulas ontem. Na EE Senador João Galeão Carvalhal, na Vila Bastos, os professores chegaram pela manhã, mas foram impedidos de entrar pelos manifestantes. Os alunos utilizam o espaço para prática de esportes e atividades como oficinas teatrais e aulas de arte.

Na EE Dr. Américo Brasiliense, no Centro, os alunos não permitem a entrada de pessoas ao prédio. Segundo os estudantes, a rotina escolar só será retomada mediante o cancelamento da reorganização.

No Jardim Guarará, a EE Clotilde Peluso continua ocupada e com as portas fechadas. O Diário foi até o local, mas ninguém conversou com a equipe de reportagem. A EE Antônio Adib Chammas, no Jardim Santa Cristina, também segue sem aulas.

Conforme explicou a dirigente regional de ensino de Santo André, Ariane Aparecida Butrico, havia acordo para a retomada das aulas desde ontem, mas os jovens voltaram atrás, como o Diário já havia adiantado. “Fizemos uma audiência de conciliação na qual ficou acordado que as aulas seriam retomadas e as escolas continuariam ocupadas, garantindo o direito à manifestação. Agora preciso de uma contraproposta para apresentar à Secretaria de Educação.”

Ariane esclareceu que não há previsão de outro acordo, mas que continua aberta ao diálogo. Ela também afirmou que a maior preocupação é com os estudantes que estão com o fim do ano letivo prejudicado. “Queremos retomar as aulas, porque esses alunos têm direito a continuar estudando, por isso a proposta era o meio-termo. Quem está no 3º ano do Ensino Médio vai ser prejudicado nos vestibulares.”

DENÚNCIAS – Alunos e manifestantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) que ocupam a EE Antônio Adib Chamas afirmaram que todos os extintores estão trancados dentro de uma sala. Além disso, a validade de alguns dos itens contra incêndios estaria vencida há mais de cinco anos. O Diário foi até o local e constatou que não havia extintores na escola.

“Estamos com cerca de 90 pessoas aqui. Além de a maioria dos extintores ter vencido em 2011, eles foram colocados pelos funcionários da escola dentro de uma sala, trancados”, disse Maria Cardore, integrante da ocupação e do MTST.

A dirigente de ensino afirmou que não tem como confirmar a denúncia. “Não admitem nenhum diálogo nem a nossa entrada.”

SÃO BERNARDO – Na tarde de ontem, o promotor da Vara da Infância e Juventude de São Bernardo, Jairo de Lucca, e o coordenador da Comissão da Infância e Juventude da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de São Bernardo, Ariel de Castro Alves, visitaram as duas escolas ocupadas na cidade. A EE Tito Lima, no Estoril, segue com as aulas, e a EE Professora Maria Osório Dias não.

“A decisão judicial do dia 27 trata da reintegração só em relação a quem não é aluno. Mas o Ministério Público se manifestou que os pais devem ficar juntos, como está acontecendo”, disse Alves. (colaborou Nelson Donato)

Fonte: Diário do Grande ABC | www.dgabc.com.br
Postado por: Grupo Discom | www.grupodiscom.com.br

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *