Aumento de mortes no trânsito confirma: Orlando Morando é o prefeito dos radares Postado em 28 de novembro de 2019

Em um dos seus conhecidos ataques de fúria na internet meses atrás, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), reclamou: “Tudo isso é um circo! Ciiiiiiiiiiiiiirco! Tem gente que vê um radar nas ruas e diz, ‘olha lá o prefeito do radar’, eu não sou o prefeito do radar, sou o prefeito que salva vidas!”. De acordo com os últimos dados divulgados pelo Infosiga SP, do Governo do Estado, o número de mortes no trânsito na cidade aumentou este ano. Portanto, não é errado afirmar: Orlando Morando é, sim, o prefeito dos radares.

Os dados do Infosiga SP mostram que o número de mortes na região do ABC dobrou em outubro em comparação ao mesmo mês do ano passado. Os índices fatais vêm crescendo nos últimos 10 meses. Em São Bernardo, o número de mortes cresceu mais de 3% neste ano.  A choradeira do prefeito na internet era em relação à reclamação da população por conta do excesso de radares instalados pela administração do tucano em São Bernardo. De acordo com o site TV São Bernardo, a cidade possui ao todo 894 radares.

Em agosto deste ano, o ABCD Maior revelou que, proporcionalmente, a cidade já tinha mais radares que a capital São Paulo. Também foi do ABCD Maior, em março deste ano, o furo de reportagem revelando que a arrecadação de multas de trânsito de Morando naquele mês já era 60% superior que todo o último ano do ex-prefeito Luiz Marinho (PT), em 2016.

Nem o então presidente da Câmara Municipal de São Bernardo, vereador Ramon Ramos (PDT), escapou. O percurso cheio de radares da Avenida Caminho do Mar não evitou o acidente que tirou a sua vida em outubro deste ano. Dinheiro arrecadado com multas de trânsito tem para ser investido na prevenção de acidentes.O dinheiro para investimento na prevenção de acidentes existe e vem da própria arrecadação com multas de trânsito. O que falta, como sempre, é a boa vontade do prefeito da cidade. Até quando?

 

Fonte: ABCD Maior | www.abcdmaior.com.br

Postado por: Grupo Discom | www.grupodiscom.com.br

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *