19º Festival de Inverno de Paranapiacaba começa neste sábado (20)

Screen Shot 2019-07-18 at 11.33.07 AM

Torre do relógio, que passou por restauro, será entregue no primeiro dia de evento; atividades acontecerão em dez espaços da vila

O 19º Festival de Inverno de Paranapiacaba começa no próximo sábado (20), com série de atrações. Uma das novidades neste ano é a inauguração da torre do relógio da estação, que foi restaurada e será entregue no primeiro dia do evento, às 19h. Os shows, exposições e intervenções culturais acontecerão em dez pontos diferentes da vila inglesa. Como nas edições recentes, as atividades destacam ainda mais a principal atração do festival: a própria Paranapiacaba.

A primeira atração cultural no sábado será a Banda Lira, que se apresentará na plataforma do Expresso Turístico, às 10h. No período da tarde, o Palco do Mercado receberá o grupo Manatiana (13h), Projeto Tânia Maria 70 anos (15h), a banda Mulamba (17) e os Harmônicos (19h). Outras atrações no sábado, serão a banda Giallos, às 13h, no Palco da rua Fox, e Leandro Segredo, às 16h, no palco da Rua Direita. O espaço Sesc, no Clube União Lyra Serrano (ULS), a partir das 12h terá série de oficinas, apresentações de dança e um audiotur. As bandas Tarancón e Raíces o de América, se apresentarão às 18h.

No domingo (21), Leandro Matos, a banda Derbaum, Fabio Kideshi e Rodrigo Régis e Tata Alves serão as atrações no palco do Mercado, respectivamente às 13h, 15h, 17h e 19h. A programação no Palco da Rua Fox terá início às 13h, com a banda Ataque à Jugular, e no Palco da Rua Direita, às 14h, com a banda feminina Santa Muerte. Já no Espaço Sesc, no Clube ULS, a partir das 12h, o público poderá conferir outras oficinas, apresentações musicais e de dança, além do audiotur e cortejo com o Samba Lenço de Mauá. A banda Blues Etílicos fecha a programação do espaço, às 18h.

Nos quatro dias, quem for à vila ferroviária poderá conferir ainda série de oficinas, vivências, saraus, exposições e atividades de lazer, além de feiras como a de Artes e Antiguidades, de Vinil e a de produtos de cambuci, fruto típico da Mata Atlântica. O espaço Locobreque abrigará as apresentações de circo. E a webrádio Rádio Plano B fará a transmissão ao vivo do evento.

Bens restaurados – Um dos destaques da edição deste ano será a entrega oficial da torre do relógio, construída em 1898, que foi totalmente restaurada e passou a contar com uma iluminação especial. O relógio estava parado há mais de 10 anos, e a última ação para conservação foi realizada em 2003. A inauguração ocorrerá às 19h do primeiro dia do Festival de Inverno.

Quem for à Vila durante o FIP vai poder conferir também o Museu Castelo, que passou por reforma, além de outros locais que foram restaurados, como a Garagem das Locomotivas, a Oficina das Locomotivas, a Igreja Senhor Bom Jesus de Paranapiacaba e a Casa da Família Ferroviária (Casa Fox).

O Banco de Alimentos vai arrecadar 1 kg de alimento não perecível ou itens de higiene.

Espaços – As atividades culturais do FIP 2019 serão realizadas em diversos espaços da Vila. O Clube União Lyra Serrano, como nas edições anteriores, receberá as atrações do Sesc, um dos parceiros da Prefeitura durante o evento. Além das atrações musicais, o local abrigará oficinas, aulas abertas e intervenções. O endereço é avenida Antonio Olyntho, s/n.

Outros importantes espaços serão o Antigo Mercado, na avenida Rodrigues Alves, s/n, a Biblioteca Ábia Ferreira Francisco, na avenida Rodrigues Alves, 472 e a Emeief Paranapiacaba, na rua Vereador João Dias Carrasqueira, s/n. A programação terá atividades ainda na Casa Lúdica, que funcionará na avenida Campos Salles, 458; no Espaço para os Artistas de Rua, na rua da Estação, s/n, na Escola Estadual Senador Lacerda Franco, na avenida Forde, s/n, no Espaço Locobreque e na entrada da parte baixa e na Igreja Bom Jesus de Paranapiacaba, na parte alta. Haverá ainda palcos na avenida Fox e na rua Direita.

Estrutura – Assim como nas edições anteriores, a Vila terá uma estrutura especial montada para receber o público nos quatro dias do festival. Na hora de comer, o público contará com praças de alimentação, que funcionarão no Antigo Mercado, na Casa Fox e no Galpão das Oficinas. Estes dois últimos contarão com espaço destinado às crianças. Os visitantes terão à disposição também os empreendimentos da vila, que contam com restaurantes, bares e cafés, entre outros.

A estrutura para o festival contará ainda com banheiros públicos nos principais pontos, como o Clube ULS, a Casa Fox, Museu Castelo, Centro de Informações Turísticas e Centro de Visitantes do Parque Nascentes. No total são 22 masculinos, 22 femininos, quatro para portadores de necessidades especiais, além de cinco fraldários. O serviço será ampliado com a instalação de 80 banheiros químicos, sendo 30 masculinos, 30 femininos e 20 com acessibilidade em diversos locais. No quesito segurança, haverá Guardas Civis Municipais, além de seguranças particulares e agentes da Polícia Civil e Polícia Militar.

Haverá também três pontos para fotos com molduras temáticas, seis pontos para informações aos turistas, 30 novos bancos instalados em diversos locais para que o público possa descansar entre as atrações e serviço de wi-fi gratuito. Outras novidades deste ano são a instalação de um posto do Samu para o atendimento de emergências, que ficará localizado no estacionamento, um posto de apoio para pessoas com deficiência ao lado do PA (Pronto Atendimento) de Paranapiacaba, além de seis tendas de suporte ao turista espalhadas pela Vila.

Transporte e estacionamento – Por conta do espaço limitado da vila, a entrada de veículos não será autorizada na parte baixa. Por isso, quem for ao festival terá de deixar o veículo no estacionamento que funcionará na rodovia SP-122. No local estará disponível um serviço de ônibus de ida até a parte alta e o retorno ao estacionamento.

O valor do serviço será o mesmo cobrado no ano passado: R$ 30 para motos, R$ 45 para veículos, R$ 70 para vans e R$ 150 para ônibus. O valor inclui o estacionamento, com seguro para o veículo e o serviço de ida até a vila e a volta ao estacionamento, também com seguro para os usuários. Quatro vans farão o translado exclusivamente para pessoas com deficiência.

Quem preferir o transporte público poderá se utilizar dos trens da Linha 10-Turquesa da CPTM até a estação de Rio Grande da Serra, de onde partem os ônibus regulares operados pela EMTU. Outra possibilidade é pegar os ônibus da EMTU que saem do Terminal de Santo André (TERSA), na estação Prefeito Saladino.

Clique aqui para mais informações e programação.

Fonte e foto: Prefeitura de Santo André – http://www3.santoandre.sp.gov.br

Comente

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *